quinta-feira, 24 de julho de 2014

A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert



"Cuide do amor, Marcus. Transforme-o em sua mais bela conquista, sua única ambição. Depois dos homens, haverá outros homens. Depois dos livros, haverá outros livros. Depois das glórias, haverá outras glórias. Depois do dinheiro, haverá mais dinheiro. Contudo, depois do amor, Marcus, depois do amor, não há mais nada além do sal das lágrimas."


Nos últimos dois dias, li as 320 páginas finais deste livro, virando cada uma freneticamente, e ainda estou com a cabeça girando. A verdade sobre o caso Harry Quebert conta histórias dentro de histórias, um livro dentro de outro, dentro de outro, numa espiral de descobertas que, camada a camada, são desvendadas. A narrativa muda de direção, diversas vezes, tornando dúvida o que antes eram certezas.

Marcus é um escritor que, depois de grande sucesso, passa por um bloqueio de criatividade. Incapaz de escrever uma nova linha sequer e com seus prazos se esgotando, resolve recorrer à ajuda de seu grande amigo e mentor - o senhor Harry Quebert, do título. Harry é, também, um escritor de renome, reconhecido, admirado e homenageado em todo o país. Seu maior sucesso, o livro "As Origens do Mal", é tema de estudos, fazendo parte do currículo obrigatório de escolas e faculdades. Vivendo numa bela casa, em uma pacata cidadezinha do interior dos Estados Unidos, a companhia de Harry parece ser o caminho ideal para Marcus se recuperar e colocar a carreira de volta nos eixos.

Os fatos, porém, não seguem por aí... Marcus descobre que o mentor foi apaixonado por uma adolescente, no passado, uma jovem de 15 anos que desapareceu misteriosamente. O romance entre os dois foi mantido em segredo, não sem motivo: além de já passar dos 30 anos, circunstâncias sombrias marcam o desparecimento da jovem. A última vez em que foi vista, ela estava fugindo, com um perseguidor em seu encalço. A única testemunha desta fuga foi assassinada, com um tiro no peito, depois de relatar o que viu, pelo telefone.

Assim, quando o corpo de Nola é descoberto no quintal de Harry, mais de 30 anos depois - junto ao manuscrito original de "As Origens do Mal" - Quebert passa a ser o principal suspeito. A história do romance vem à tona e evidências apontam cada vez mais para sua culpa.

Marcus, disposto a provar a inocência do amigo, passa a investigar o caso - e a revelar que, numa cidade aparentemente pacata, ninguém pode ser descartado como suspeito. Conforme avança, suas hipóteses são construídas e desconstruídas.

Há bastante comoção, na imprensa especializada, em torno deste livro - a maioria, de declarações maravilhadas. A história de Joël Dicker é realmente um excelente thirller, um bom mistério, que, ao final, não ofende a inteligência do leitor, com soluções mirabolantes. Consegue manter surpresas até as páginas finais. Um ou outro diálogo pode soar meio piegas, enquanto outros geniais - em especial as conversas de telefone entre Marcus e sua mãe e entre o escritor e o investigador principal do caso, Gahalowood. Mostra, também, uma interessante visão sobre o lado sujo da indústria literária - muito mais preocupada com lucro e entretenimento do que com integridade e uma boa história.
 
 
 
Título Original: La verité sur l'affaire Harry Quebert 
Editora: Intríseca
Autor: Joël Dicker
Ano: 2014
Páginas: 578

Comente usando o seu perfil no Facebook!

Nenhum comentário:

Postar um comentário