terça-feira, 30 de abril de 2013

Selvagens





Ah, o amor e suas diferentes faces...

Ben, Chon e Ophelia sabem curtir a vida. Os dois amam a moça, que ama os dois, que são grandes amigos, e não há nenhum problema nisso. Eles estão bem de vida, com todo dinheiro que poderiam querer - o bastante para levar a boa vida, no sul da Califórnia. Ben e Chon tem uma legião de fãs, são adorados por muita gente. Seu sucesso e boa condição econômica são facilmente justificáveis: é que eles produzem maconha de qualidade excepcional.

Amor dos tempos modernos, empreendedorismo dos tempos modernos.

Ben sente-se feliz, empregando boa parte de seu tempo e dinheiro em missões humanitárias, pelo mundo. Ele é o negociador, a parte sensível da dupla. Chon, ao contrário, age quando as coisas complicam. Como Ophelia (ela prefere ser chamada de "O") define muito bem, Chon é aço, Ben é madeira.

O mercado que escolheram, porém, é bastante competitivo. Investidas agressivas não estão descartadas - e, por agressivas, pode-se entender um vídeo ameaçador, enviado pelo temido Cartel de Baja. Os mexicanos querem o produto de Ben e Chon. Sua proposta de negócios é a oferta de que os dois não serão decapitados, como aconteceu com os infelizes no vídeo. Embora saibam lidar bem com a violência - Chon tem treinamento de marine, ex-mercenário, casca-grossa e é muito eficiente, para descartar adversários - os dois amigos têm plena consciência de que enfrentar o Cartel e seu exército é uma batalha perdida.

Tudo munda de figura, quando O é sequestrada e sua vida passa a correr perigo. O Cartel subestima a relação que existe entre os três, não faz ideia de até onde estão dispostos a ir, para ter de volta a mulher que amam. A partir daí, começa um intrincado jogo de xadrez, com cada lado fazendo o possível para estar sempre um passo à frente do outro.

A linguagem de Don Winslow é espetacular. O livro é ligeiro, na medida certa. Cada protagonista é bem representado, tornando difícil não gostar deles... na verdade, até os antagonistas são cativantes. Com um tom de reportagem, detalha as origens do tráfico internacional, partindo do México - ironicamente, financiado pelos Estados Unidos, em seus primórdios -, de seus diversos cartéis e da briga entre eles. Explica, também, parte do processo de desenvolvimento do produto especial fornecido por Ben. 

Winslow, para continuar com a imagem do jogo de xadrez, citada anteriormente, posiciona muito bem suas peças. Cada personagem importante tem sua história, revelada sem detalhismo exagerado - o suficiente para compreender suas motivações e criar uma empatia. Repleto de lances geniais, Selvagens consegue prender bem, do começo ao fim. O título, aliás, é bem "trabalhado", com visões diferentes, no decorrer do livro, e acaba por se tornar mais um detalhe interessante.

O livro gerou um filme, por Oliver Stone - que ainda não vi.


"O amor deixa você vulnerável. 
Então, se você tem inimigos, 
Tire deles aquilo que eles amam."


Título original: Savages
Editora: Íntrinseca
Autor: Don Winslow
Ano: 2012
Páginas: 288

Comente usando o seu perfil no Facebook!

Nenhum comentário:

Postar um comentário