sexta-feira, 21 de setembro de 2012

As Melhores Histórias do Coletivo Corrosivo




Este livro é cínico, da primeira à última página. E, bem, isso é um elogio.

Como uma dose atrás da outra, as histórias derramam-se - meio reportagem sensacionalista, meio causo de bar, meio "aconteceu com um conhecido meu...". Trazem personagens tão inverossímeis, que só podem ser reais (com um ou outro exagero perdoável). No conjunto, algumas histórias passam, enquanto outras são bem marcantes. O coletivo é bem interessante, com a dose certa de humor (um humor nervoso), tristezas sem explicação do dia-a-dia, golpistas, maridos traídos, honra lavada e chifres aceitos.

Falando novamente de doses, tem uma observação do cotidiano, sem preocupação de poupar o leitor de nada. O Corrosivo Coletivo não se prende à uma falsa moral, não doura a pílula. Os pseudônimos criados pelos autores são bem eficientes, também, em suas diferentes visões desta observação do cotidiano - tendo em comum apenas o cinismo citado lá no início.

Os textos, como diz o título, foram selecionados do blog Corrosivo Coletivo (http://corrosivocoletivo.blogspot.com.br/), um lugar que deve ser frequentado com cuidado. Recomendado? Definitivamente, desde que o leitor esteja preparado. Mulheres lascivas, espertalhões, otários, golpes e um pessoal sem escrúpulos estão apenas aguardando cada página ser virada. Ácido, ciumento, cismado, o Coletivo carrega o fundamental para ser necessário: é divertido, bastante divertido - sem a menor vergonha disso.



Título Original: As Melhores Histórias do Coletivo Corrosivo
Editora: Navilouca Livros
Autores: Bruno Machado, Crido Santos, Felipe Gonzales
Ano: 2012
Páginas: 114

Comente usando o seu perfil no Facebook!

Nenhum comentário:

Postar um comentário