sábado, 21 de abril de 2012

Crime



"Cinquenta por cento das pessoas são honestas. Você pode esquecer tudo sobre elas. Elas podem cometer pequenas transgressões, mas basicamente vivem suas vidas fazendo o que outras pessoas lhes dizem para fazer. As outras 50 por cento estão divididas entre as malvadas, cerca de 10 por cento, e as fracas e estúpidas, outros 40 por cento. Aqui novamente, as malvadas não eram tão importantes no cálculo; elas estavam lá simplesmente para serem caçadas. O grupo-chave era constituído pelas pessoas fracas e estúpidas. Elas eram os principais perpetradores e vítimas do crime."


Irvine Welsh, inevitavelmente lembrado por Trainspotting, consegue me surpreender a cada novo livro. Sim, ele continua especialista em retratar indivíduos extremamente habilidosos em detonar a própria vida. Sim, drogas e álcool estão envolvidos, em quantidades quase letais. Sim, há os tipos ruins e, sua contraparte, tipos que não podem ser classificado exatamente como bons. E, sim, coisas ruins acontecem às pessoas boas. Ou seja, mais do que tornou o autor famoso. A história, porém, não lembra em nada Renton, Sick Boy, Spud e companhia. Ela consegue, à sua maneira, ser ainda mais pesada.

Deixando sua Escócia natal (onde a maioria de seus livros foram ambientados), a ação acontece numa Flórida ensolarada - onde o detetive Ray Lennox vai com sua noiva, para passar férias e se recuperar de um caso complicado. Lennox pertence à divisão de crimes hediondos, em Edimburgo. Na América, porém ele descobre que nem tudo é o paraíso que esperava encontrar. O submundo em que se vê envolvido é triste e perigoso, cercado justamente pela escória que ele persegue todos os dias.

Tudo se complica rapidamente. Lennox se vê sozinho, atordoado, numa cidade estranha e obrigado a proteger uma criança correndo perigo. Não pode confiar em ninguém, muito menos na polícia. Enquanto foge, ele passa a confrontar sua própria história - seus fantasmas do passado que, revelados, mostram como o policial chegou a ser quem é. A perseguição fica mais e mais tensa, um thriller difícil de deixar de lado. A narrativa é pesada. Lennox descobre a verdadeira natureza de seus perseguidores, uma rede muito bem estruturada de pedófilos. A criança que ele protege deixa de ser uma vítima, para se tornar uma ameaça em potencial.

Welsh deixa o seu recado, sem fugir de uma verdade inconveniente. No final, os papéis ficam bem claros - ao menos para Lennox. Há o mal, e ele deve ser combatido.


Título original: Crime
Editora: Rocco
Autor: Irvine Welsh
Ano: 2008
Páginas: 414

Comente usando o seu perfil no Facebook!

Nenhum comentário:

Postar um comentário