segunda-feira, 1 de agosto de 2011

A Guerra dos Tronos



"- Ah, minha querida criança de verão, que sabe de medo? O medo pertence ao inverno, meu pequeno senhor, quando as neves se acumulam até três metros de profundidade e o vento gelado uiva do norte. O medo pertence à longa noite, quando o sol esconde o rosto durante anos e as crianças nascem, vivem e morrem sempre na escuridão, enquanto os lobos gigantes se tornam magros e famintos, e os caminhantes brancos se movem pelos bosques."


O sucesso está nos detalhes.

Existe muito burburinho em torno de George R. R. Martin e suas Crônicas de Gelo e Fogo, graças à elogiada serie do canal HBO. Ainda não vi nenhum episódio - ganhei o primeiro livro de um grande amigo, com recomendações expressas de partir para a leitura, antes de me aventurar nas telas. Evidentemente, ele estava correto.

A comparação com Tolkien é inevitável, a própria editora utiliza-se desta estratégia, na divulgação da obra. Eu acrescentaria um pouco de Bernard Cornwell à mistura, dada a carga de realidade que o autor consegue imprimir em alguns momentos, tornando sua obra de fantasia incrivelmente verossímil. É possível, assim, decompor A Guerra dos Tronos numa série de situações-chave, habilmente amarradas. Um pouco de tragédia de Shakespeare, um pouco de lendas nórdicas - concordei com o amigo que me presenteou, Thiago (um outro, não o colaborador do Fala Livros); Tyrion Lannister carrega muito da personalidade do Loki, o deus trapaceiro.

Não quero dizer, absolutamente, que não existe criatividade. Qualquer uma das comparações acima é somente para destacar o valor da obra de Martin, a incrível habilidade com que consegue amarrar a história, narrar a saga de clãs poderosos, num lugar em que a própria terra é também um personagem - todos carismáticos, alçados rapidamente ao panteão de figuras inesquecíveis. Como já comentei por aqui, vejo com grande destaque um autor que consegue conduzir seu leitor, despertando emoções variadas ao longo da história que é contada. A Guerra dos Tronos cumpre esse papel com maestria, despertando ódio, tristeza, esperança, júbilo e empatia, até mesmo com os "vilões".

Um começo excelente, que já deixa bem claro que uma grande história está por vir - pela qual aguardo ansiosamente. Por enquanto, posso começar a ver a série.

O inverno está chegando.


Título original: A Game of Thrones
Editora: Leya
Autor: George R. R. Martin
Ano: 2010 (esta edição)
Páginas: 592

Comente usando o seu perfil no Facebook!

Nenhum comentário:

Postar um comentário