quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Eu Sei O Que Você Está Pensando



Quantos anjos luminosos
Podem num alfinete dançar?
Quantas esperanças se afogam
Numa garrafa de bar?
Já imaginou que seu copo
Era uma arma infeliz
E que um dia pensaria:
Meu Deus, o que foi que eu fiz?
 
 
Já aconteceu de você não se preparar para uma prova, achar que não foi bem e ser surpreendido com uma nota incrivelmente boa? Pois é, esta foi a gratificante sensação que ficou, ao final da leitura de Eu Sei O Que Você Está Pensando, livro de estreia de John Verdon. Não esperava nada excepcional e encontrei um thriller fascinante, bem difícil de largar - novamente, me levando a avançar pelas madrugadas...
 
Um jogo elaborado, entre dois adversários igualmente inteligentes - um superdetetive, aposentado, e um psicopata que envolve suas vítimas, somente para exterminá-las de forma cruel. Apresenta, desde o início, um enigma perturbador, genial pela sua simplicidade, brilhante em sua resolução. Como uma daquelas tradicionais bonecas russas (Matrioshka), cada descoberta leva a um novo mistério, fruto de uma mente maligna, que se diverte zombando da polícia - a quem despreza totalmente.

Como pano de fundo, David Gurney, o detetive, é um personagem complexo, com uma personalidade peculiar. Repleto de problemas, é bem verdade, e justamente por isso, totalmente verossímil. Não, não é o típico detetive noir, amargurado e entregue à bebida barata e cigarros, mas carrega sua parcela de culpa, justificável ou não. O relacionamento com sua esposa também é muito bem apresentado, ela não é um mero personagem coadjuvante. A sensação, em alguns momentos, é de invadir a intimidade do casal - por menor que seja esta intimidade apresentada. Juntam-se outros personagens memoráveis e pronto: entretenimento de primeira.

Uma bela estreia para o senhor John Verdon, tem uma narrativa bem cinematográfica, com descrições detalhadas, que não deixam dúvidas sobre personagens ou ambientes - e, isso é fundamental, para entendimento dos enigmas criados pela mente maligna do antagonista. Por todo esse clima, não me espantaria ver a história nas telas do cinema, algum dia.



Título original: Think of a Number
Editora: Arqueiro
Autor: John Verdon
Ano: 2010
Páginas: 340


Comente usando o seu perfil no Facebook!

Nenhum comentário:

Postar um comentário