segunda-feira, 14 de março de 2011

A Rainha do Castelo de Ar - Millennium 3



"Nós somos aqueles que não existem. Somos aqueles a quem ninguém agradece. Somos aqueles que precisam tomar as decisões que ninguém mais consegue tomar... muito menos os políticos."


Última parte da trilogia Millennium, de Stieg Larsson, A Rainha do Castelo de Ar é uma sequência direta de A Menina Que Brincava Com Fogo (Larsson gostava de títulos longos, é verdade), começando imediatamente do ponto em que o anterior terminou. Fica um pouco difícil comentar este volume, sem revelar alguns pontos da história até aqui...


Lisbeth Salander está no hospital, recuperando-se dos graves ferimentos sofridos no confronto com Zalachenko. Entre a vida e a morte, ela está prestes a sofrer uma vez mais, nas mãos daqueles que querem esconder antigos segredos - e, principalmente a relação entre o serviço secreto sueco (Säpo) e o antigo espião russo. O plano destes homens, dispostos a tudo para esconder seus crimes e manter suas posições, é fazer Salander desaparecer uma vez mais num hospital psiquiátrico - como já fizeram no passado, quando ela, ainda jovem, tentou matar Zalachenko pela primeira vez.


Embora esteja longe de ser uma vítima indefesa, o isolamento e a diferença brutal de poder levam Lisbeth a precisar de aliados - e nenhum é mais dedicado que o jornalista Mikael Blomkvist, co-protagonista da história. Mikael, com o poder da imprensa - e da renomada revista Millennium - mostra-se um adversário difícil de ser batido. Conforme a trama avança, este último volume torna-se um competentíssimo thriller de espionagem, envolvendo "o clã" responsável por Zalachenko, dentro da Säpo, alguns agentes incorruptíveis da instituição, investigadores convencionais, empresas privadas de segurança (já apresentados em volumes anteriores)... espiões espionando espiões. Destaque para a Hacker Republic, companheiros "subversivos" de Salander.


Num enredo que avança até os altos escalões do poder sueco, envolvendo o Ministro da Justiça e o Primeiro Ministro, Stieg Larsson ainda encontrou espaço para trama secundárias envolventes, que acabam por enriquecer sua história (já comentei que sua atenção à detalhes é absurda? Nada escapa, nenhum fio fica solto).


Larsson fechou com chave de ouro, sua grande trilogia, sem sombra de dúvida. É uma pena que tenha partido tão cedo, nos privando de sua poderosa imaginação, de seu cuidado com os personagens e sua dedicação à história a ser contada. Posso afirmar que Lisbeth Salander, Mikael Blomkvist e revista Millennium (também personagem, por que não?) ficarão sempre guardados em minha memória, como grandes criações de um grande escritor.




Editora: Companhia das Letras
Autor: Stieg Larsson
Ano: 2007
Páginas: 685

Comente usando o seu perfil no Facebook!

8 comentários:

  1. ja li os dois volumes e maravilhoso, fiquei ainda mais curiosa...

    ResponderExcluir
  2. Não perca tempo, fecha com chave de ouro! =)

    ResponderExcluir
  3. Oi Júlio, tenho que concordar com vc, fazia tempo que não lia uma sequência tão boa preservando a qualidade do inicio ao fim. Li um atrás do outro, fiquei viciada e viciei algumas pessoas também, rsrsrs.
    Vale a pena ver os filmes desta trilogia, foi de muito bom gosto a escolha dos atores, valorizaram mais a história, nada de rostinho bonito pra chamar audiência. Amei a Lisbeth. O loiro meio irmão está otimo, bem frio. O primeiro filme já tem em locadora, ou outros baixei da internet. Olha vale a pena assistir o original sueco porque hollywood está lançando em janeiro de 2012 a sua versão,mas original é original.
    Até outro dia,
    Ana Paula

    ResponderExcluir
  4. Ana,

    Que bom que você gostou - e também "contagiou" outros pra Millennium. Todos vão sair ganhando, com certeza! E, pode deixar que sua dica já está anotada, vou ver os filmes, sim...

    Um abraço! =)

    ResponderExcluir
  5. Li os doi primeiros volumes, adorei, estou também contaigando outros, só não concordo sobre os filmes, achei que mudaram um pouco a historia e tiraram o suspense, e a não derão tanta importancia ao lado das decobertas da investigação assisti a verssão de hollywood e achei mais proxima ao livro. Estou lendo esse terceiro, e já gostei pois ele começa com a mesma intensidade que termina o segundo. Assim que terminar dou minha opinião sobre a trilogia.

    ResponderExcluir
  6. Juliano,

    Ainda não vi nenhum dos filmes, mas sei que mudaram um pouco o final do primeiro, né? E, sim, o segundo e o terceiro livro são intimamente ligados. Tenho certeza de que você gostará do final.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Julio, terminei de ler a trilogia, e que trilogia... como me surpreendi com o começo em ritimo intenso, estava com medo de cair o ritimo se aproximando do final, pelo contrario o livro é itenso ate sua ultima linha que você fica querendo descobrir o que será do casal Mikael e Salander. Pena que Larsen se foi... é uma trilogia que recomendo, li todos em sequencia sem intervalo... achei que ele poderia ter perdido mais algumas paginas no julgamento... tava legal vendo a Gianini bater doido no Teleborian. Adorei o livro e recomendo... o filmes Suecos, ficam muito a desejar... me desaponetei com eles, melhor ficar no aguardo das versões de Hollywood. Me aconselhem mais livros poilicias bons ai.

    ResponderExcluir
  8. Juliano, fico muito feliz, mesmo, que você tenha gostado dos livros. A história é irretocável, da primeira à última página - o que nos faz lamentar a partida precoce do senhor Larsson. Existem boatos de que ele deixou cerca de 200 páginas, de um quarto livro, mas... bem, a história está contada.

    Quanto a outras sugestões, também gostei bastante de "Eu sei o que você está pensando", de John Verdon (comentado aqui: http://www.falalivros.com/2011/08/eu-sei-o-que-voce-esta-pensando.html). A boa notícia é que, se você gostar, o livro já tem uma continuação - que pretendo comentar, em breve.

    Abraços!

    ResponderExcluir