quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Q - O Caçador de Hereges



Luther Blissett constrói um intrincado jogo de gato e rato, cujos protagonistas são um homem sem nome e um homem com vários nomes. 
Assumindo tons de um texto policial, com uma cuidadosa pesquisa histórica, a narrativa é contada por meio de documentos. Começando em 1517, quando Martinho Lutero dá início à Reforma, acompanhamos um estudante de teologia que se coloca ao lado daqueles considerados hereges, pelo movimento da Igreja, contrário à idéias de Lutero.
O jovem tem seu inimigo, que o persegue ao longo dos anos: Q, servo leal do Papa Leão X. Assim, conhecemos o ponto de vista de cada um: os registros daquele que resolveu apoiar os insurgentes, contra a poderosa Igreja católica, e pagou por isso tendo que abandonar seu nome e adotar outros, ao longo dos anos; os relatórios encaminhados ao Papa, por seu servo leal.
Eles se opõe nas planícies de Frankenhausen, quando os Príncipes alemães ordenam que cavaleiros, em armaduras completas, exterminem camponeses rebelados. Quase dez anos mais tarde, estão na revolta que levou o povo à conquista da cidade de Münster, na tentativa de transformá-la numa utopia de liberdade. Estão mais próximos do que imaginam, cercados por intrigas políticas e religiosas, em meio à troca de favores entre poderosos banqueiros e a Inquisição romana.

Q - O Caçador de Hereges é uma leitura grandiosa. É um romance, sim, mas, citando um dos comentários da contra-capa: "Q é ao mesmo tempo um romance de aventuras, um texto teológico, um tratado de filosofia, um guia de amor e um manifesto de militância anarquista e situacionista."

Vale a pena ler e reler, quantas vezes forem necessárias, até que se compreenda que nada é mais importante que a liberdade.

Editora: Conrad
Autor: Luther Blissett
Ano: 2002
Páginas: 593

Comente usando o seu perfil no Facebook!

Um comentário:

  1. Li e amei este livro,maravilhoso,inigmático,denso,misterioso e fantastico.

    ResponderExcluir