quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Noturno



Definitivamente, o tema relacionado aos vampiros é inesgotável. Mas, se quiser se aventurar em Noturno, não espere nada parecido com os contos de fadas que circulam na onda atual.
Os vampiros de Del Toro são criaturas do submundo, repugnantes, movidos por puro instinto. Nada de "bonzinhos atormentados lutando contra a própria natureza"... Aqui, eles sentem fome e não vão deixar nada se colocar em seu caminho.
O vampirismo é retratado como uma doença, que se espalha rapidamente e sem controle, depois que um antigo pacto é quebrado. A humanidade está em risco, e somente um grupo pequeno, ciente da ameça, se coloca entre as criaturas da noite e a destruição total.
Parece um pouco clichê. E é, mas nem por isso deixa de ser divertido. Todos os elementos clássicos estão ali: o ancião, que conhece a verdadeira natureza do mal que estão enfrentando. O herói relutante, que, aos poucos, passa a acreditar nas palavras do ancião e defender sua causa. A jovem idealista que se junta ao grupo. O cara simples e direto, um "homem de ação", que ajuda a cruzada. Os humanos, aliados malignos dos vampiros, que buscam desacreditar os heróis. O grande mestre dos vampiros. Não faltaram nem mesmo armas medievais.
Noturno é apresentado como a primeira parte de uma trilogia e, mesmo repleto de semelhanças com histórias seculares, cumpre o seu papel, se o que você busca é diversão. Seu maior mérito, aliás, é justamente seguir uma fórmula "antiquada", fugindo do mais recente estereótipo vampiro-galã. É simplesmente uma história do bem contra o mal.

Editora: Rocco
Autor: Guillermo Del Toro & Chuck Hogan
Ano: 2009
Páginas: 464

Comente usando o seu perfil no Facebook!

Nenhum comentário:

Postar um comentário