quinta-feira, 16 de setembro de 2010

1984



O Grande Irmão está de olho em você.
Junto de Laranja Mecânica (lembra?) e Admirável Mundo Novo (que está na minha fila de leitura, para breve), 1984 representa o auge da ficção científica do século XX.
O futuro mostrado por George Orwell é completamente opressivo. Em Oceânia, não existe liberdade, nem mesmo de pensamento. A individualidade é combatida, até com a utilização do idioma oficial - a Novafala, com um número cada vez menor de verbetes - cujo objetivo é justamente impedir a criatividade, o surgimento de idéias que possam ser consideradas subversivas.
Cada minuto é vigiado pelo Grande Irmão, através das teletelas. O Partido que ele representa pode ver e ouvir tudo, nada escapa à sua vigilância, nem à sua vingança. Um de seus grandes lemas é "Quem controla o presente, controla o passado. Quem controla o passado, controla o futuro". Assim, registros são constantemente alterados, a história é sempre reescrita. Se a Oceânia está em guerra com algum país, ela sempre esteve em guerra com este país. Se, no mês seguinte, a guerra é com algum antigo aliado, então o mesmo nunca foi um aliado, sempre um inimigo. Toda recordação escrita é alterada, eliminando-se qualquer evidência, por mais insignificante que possa ser, de que o Grande Irmão possa ser imperfeito.
Neste mundo de opressão absoluta, o protagonista, Winston Smith, comete o maior crime que se possa imaginar: tem uma mente livre. Ele almeja a verdade, ele ousa sonhar.
Mas, nada escapa à vigilância do Grande Irmão.

Orwell escreveu uma verdadeira obra-prima. Passados 60 anos da publicação original, 1984 continua relevante, continua influenciando um mundo cada vez mais vigiado.

Editora: Companhia das Letras
Autor: George Orwell
Ano: 2009 (esta edição)
Páginas: 416 

Comente usando o seu perfil no Facebook!

Nenhum comentário:

Postar um comentário